Serviços

Sistemas de microgeração

A microgeração consiste em produzir electricidade em instalações de energias renováveis de pequena potência para vendê-la à rede pública. Existem dois regimes de produção, o regime geral e o bonificado. No regime geral a potência de ligação está limitada a 50% da potência já contratada no contrato de compra de electricidade e a um máximo de 5,75 kW, no regime bonificado a potência de ligação está limitada a 50% da potência já contratada no contrato de compra de electricidade e a um máximo de 3.68 kW.

Existem excelentes motivos para investimento neste tipo de instalação, nomeadamente deduções em IRS, energia limpa e acima de tudo é um investimento lucrativo, sendo que o investimento se auto-paga em 6 à 7 anos e tem uma taxa de retorno do investimento de cerca de 13%.

DECRETO-LEI n.º 118-A/2010 de 25 de Outubro

Simplifica o regime jurídico aplicável à produção de electricidade por intermédio de instalações de pequena potência, designadas por unidades de microprodução, e procede à segunda alteração ao Decreto-Lei n.º 363/2007, de 2 de Novembro, e à segunda alteração ao Decreto-Lei n.º 312/2001, de 10 de Dezembro.

Sistemas de minigeração

Miniprodução é a actividade de pequena escala de produção descentralizada de electricidade, recorrendo, para tal, a recursos renováveis com base numa só tecnologia, e entregando, contra remuneração, electricidade à rede pública, na condição que exista consumo efectivo de electricidade no local da instalação e cuja potência de ligação à rede seja igual ou inferior a 250kW. A renumeração da miniprodução está dividida em dois regimes à escolha, o regime geral e o regime bonificado. Em que as condições são as seguintes:


  • Regime geral:

    Potência de ligação é limitada a 50% da potência contratada com um máximo de 250kW, sendo necessário que a energia consumida na instalação de utilização seja igual ou superior a 50% da energia produzida pela unidade de miniprodução.
    A venda de electricidade neste regime observa as regras estabelecidas para a comercialização da produção de electricidade ao abrigo do regime ordinário, ou seja, em condições de mercado.


  • Regime Bonificado:

    Para além das condições exigidas para o regime geral, será também obrigatório a observância das seguintes condições cumulativas:
    • Previa comprovação, à data do pedido de inspecção, da realização de auditoria energética que determine a implementação de medidas de eficiência energética, com o seguinte período de retorno:
      • a)Escalão I (até 20kW) 2 anos;
      • b) Escalão II (de 20kW até 100kW) 3 anos;
      • c) Escalão III (de 100kW até 250kW) 4 anos
    • O cumprimento das medidas identificadas na auditoria deverá ser reportado anualmente à DGEG até à sua total implementação.
    • A venda de electricidade neste regime obedece a duas tarifas que estão assim repartidas:
      • - Até 20 kW, uma tarifa de referência fixa a 250?MW/h por um período de 15 anos;
      • - Para potências entre 20kW e 250kW, o regime depende de mecanismos concorrenciais, ou seja, a tarifa de referência tem como base os 250MW/h, e serão seleccionadas as entidades que ofereçam o melhor desconto à tarifa, sendo que os diversos pedidos de registo serão ordenados em função desse desconto. Esta tarifa é garantida por um período de 15 anos.

DECRETO-LEI n.º 34/2011 de 8 de Março

Estabelece o regime jurídico aplicável à produção de electricidade por intermédio de instalações de pequena potência, designadas por unidades de miniprodução.
Aerogeradoras
Um aerogerador é um gerador eléctrico integrado ao eixo de um cata-vento e que converte energia eólica em energia eléctrica. ? um equipamento que tem se popularizado rapidamente por ser uma fonte de energia renovável e não poluente.
Sistemas isolados - São todos os sistemas que se encontram privados de energia eléctrica proveniente da rede pública. Estes sistemas armazenam a energia do aerogerador em baterias estacionárias, que permitem consumir energia nas temporadas em que não se verifique vento, evitando que a energia eléctrica falhe ou quando o aerogerador pára.
Sistemas híbridos - São todos os sistemas que produzem energia eléctrica em simultâneo com outra fonte electroprodutora. Esta fonte poderá ser de origem fotovoltaica, de geradores eléctricos de diesel/biodiesel, ou qualquer outra fonte electroprodutora. Nestes sistemas temos o mesmo funcionamento que nos sistemas isolados, a única alteração é que o carregamento das baterias estacionárias é feito por mais do que um gerador.
Sistemas de injecção na rede - São todos os sistemas que inserem a energia produzida por eles mesmos na rede eléctrica pública.
Postes Solares
  • Postes Solares desenvolvidos para a Câmara Municipal do Funchal




  • Postes Solares desenvolvidos para o Porto Santo




  • Postes Solares

Caso de Estudos

GANHOS FINANCEIROS/AMBIENTAIS: